Deixe um comentário

Oportunismo barato

Na primeira reunião ordinária após as manifestações que tomaram conta do país o clima de cinismo imperou na Câmara Municipal de Campinas. De forma geral os vereadores tentaram capitalizar sobre as manifestações do dia 15 de março e, diante do sentimento de podridão generalizado na política nacional, esforçaram-se para minimizar danos individuais iminentes. Para tanto, o discurso de todos os vereadores cumpriu um protocolo unânime: parabenizaram a atuação cívica, digna e democrática das manifestações.

Apesar da aparência de respeito à vontade popular estes mesmos vereadores não expressam em atos aquilo que floreiam em palavras pomposas. Se agora aplaudem e falam com efusão de quem cobra uma resposta aos desmandos políticos do governo federal PTista o mesmo não vale para quando um cidadão comum questiona-os quanto à política local. Em novembro de 2013, para citar um exemplo recente, apenas 1 dos 33 vereadores respondeu às indagações dos editores deste blog.

Desde logo fica claro que dar ouvidos à população não é prática corrente entre nossos vereadores e por isso mesmo requer um esforço adicional para emular aquilo que não são.

Assim, este blog cumpre o papel cívico de oferecer uma plataforma de dados para que os cidadãos campineiros, ao votarem, possam embasar as suas decisões em atos parlamentares que por vezes escapam ao noticiário tradicional. E neste espírito de vigilância democrática destaco, a seguir, aqueles parlamentares que se notabilizaram pelo uso da mentira deliberada, da defesa daquilo que é antidemocrático, imoral ou que atenta contra as liberdades individuais.

Pedro Tourinho (PT)

Como não podia deixar de ser diferente, o vereador Pedro Tourinho fingiu indignação com a falta de debate sobre a aprovação de terceirização de serviços públicos de saúde e educação por meio de Organizações Sociais (OS) na administração Jonas Donizetti (PSB). Tourinho fugiu do único assunto que estava na boca da Câmara: as manifestações contra o PT. Como subterfúgio, alegou que a cidade não fez os debates necessários para aderir ou não às terceirizações.

Um dado de suma importância e que obviamente Tourinho não revela é que ele próprio foi à manifestação em favor do PT no dia 13. Mas vamos supor, por plena caridade para com o nobre vereador, que ele tenha se esquecido desse evento. Vamos apenas nos concentrar na (falsa) alegação de falta de oportunidade de discussões entre os entes políticos e a própria população. Se apenas essa situação já o coloca em posição de dissimulado o que vem a seguir rebaixa qualquer possibilidade de salvar algum resquício de dignidade e senso de honra.

Nenhuma palavra foi emitida em resposta ao mesmo expediente orquestrado pelo seu partido, em dezembro, quando Renan Calheiros (PMDB-AL) mandou esvaziar o Congresso Nacional para fazer passar a Lei do Calote sem interferência do povo que estava presente nas galerias.

Mais ainda, com relação ao programa Mais Médicos este mesmo vereador tentou aliviar a barra de Alexandre Padilha, então ministro da saúde, alegando que os conflitos entre o Conselho Federal de Medicina e o governo do PT a respeito do exercício ilegal da medicina (afinal de contas, quem não faz o exame de revalidação de diploma sequer tem como comprovar a proficiência para o pleno exercício da profissão) deviam-se a ruídos de comunicação entre as partes envolvidas.

O cinismo e a cara de pau são a marca do vereador-militante Pedro Tourinho.

Antonio Flôres (PSB)

Parabenizou as manifestações, mas jamais respondeu aos questionamentos do projeto de lei Telhado Verde. No entanto isso é muito pouco se comparado ao vergonhoso episódio em que furtou-se ao dever de esclarecer qual o critério que utiliza para nomear assessores para cargos de confiança.

A saber, o assessor indicado pelo próprio Flôres foi preso em flagrante por estupro, mas nem isso foi capaz de gerar um desconforto ao vereador a ponto de responder que tipo de servidor ele coloca para cuidar da administração pública.

Marcos Bernardelli (PSDB)

Como sempre Marcos Bernardelli cumpriu ao protocolo de falar duro com o PT. Duro, porém sem um pingo de honestidade. Bernardelli é apenas mais um instrumento da agenda do próprio PT. É preciso lembrar que saiu de suas mãos o projeto de lei nefasto que praticamente autoriza o Estado a usar o MST para criar caos urbano. O assunto é sério e requer a atenção de todos.

Caso o leitor deste blog tenha chegado agora por aqui sugiro fortemente que leia o meu artigo intitulado Revolução velada em curso para saber o perigo para a estabilidade da ordem social no Brasil.

Paulo Bufalo (PSOL)

Alguns hábitos nunca mudam e a dissidência do PSOL (aquela que abandonou o PT porque este não era radical o suficiente) mostrou o porquê é a linha auxiliar do partido mais vil do Brasil. Paulo Bufalo subiu à tribuna para tratar do tema que preocupa todo o campineiro: a terceirização de serviços públicos! A exemplo de seu colega de vassalagem PTista, Bufalo diminuiu a importância das manifestações para fingir que não há um elefante na sala.

A coisa toda é tão doente que ele reconhece o desprezo da população pela corrupção generalizada – sem atribuir responsabilidade ao PT, é claro! – e fala em corruptos e corruptores. De um só golpe ele retrata os possíveis agentes prestadores de serviços terceirizados como os corruptores reais que orquestram o processo de licitação em Campinas sem, contudo, exigir que o mesmo tratamento seja dado à executiva nacional do… PT!

Thiago Ferrari (PTB)

Distante da polarização entre PT-PSDB, Thiago Ferrari adotou um tom conciliador em sua fala. Chegou a questionar-se sobre qual seria o sentimento da população que a motivou a sair às ruas em protesto e ousou dizer que foi a insatisfação com as forças políticas, seja ela da situação ou oposição. Falou ainda em retomada da honra e orgulho do povo de ser brasileiro.

Ora, nobre vereador, como é que a oposição pode ser responsabilizada pela situação operar as engrenagens da maior máquina de mentiras eleitorais?

Como é que a oposição pode ser responsabilizada pela volta da inflação e a instabilidade econômica, atribuições claramente sob o domínio da situação?

Como é que a oposição pode ser responsabilizada pela situação atribuir o estatuto de heróis nacionais aos membros do partido que foram condenados por corrupção?

Como é que a oposição pode ser responsabilizada por apurações secretas em favor da situação, fato que em si já constitui fraude eleitoral?

Como é que a oposição pode ser responsabilizada pela situação ameaçar a população com exércitos particulares?

Se tais questões não ocorreram ao nobre vereador é porque este trata como iguais aquilo que tem desproporções abissais. Em outras palavras, Ferrari cumpre a função desonrosa de ser o eterno atenuador dos crimes do PT.

Nunca é demais relembrar que há alguns meses o próprio Thiago Ferrari perdeu o senso do ridículo e veio aqui neste mesmo blog diminuir a importância de tentativa de censura de mídia exercida pelo PT. O leitor que quiser conferir por si mesmo este episódio indigno eis aqui o artigo intitulado Sensibilidade seletiva em que o advogado do PT desmerece estas mesmas manifestações populares, na seção de comentários.

Jaírson Canário (SDD)

Aqui temos um caso grave de inépcia e completo despreparo para o exercício da atividade parlamentar. Jaírson Canário faz Dilma Rousseff parecer uma erudita, tamanha a deficiência na articulação de idéias. Todas, absolutamente todas as suas falas são truncadas e desconexas. Ainda assim, diante de toda confusão mental de alguém que não tem a menor condição de ocupar com responsabilidade o cargo que ocupa, Canário declara que o Brasil ainda não está preparado para a democracia e que as manifestações são uma ameaça à democracia.

Nada mais apropriado para um ex-PTista. Canário saiu do PT, mas o PT nunca saiu dele.

Carlão do PT

A linguagem PTista é forjada nos preceitos da novilíngua do romance 1984 de George Orwell segundo a qual o significado de uma palavra acompanha a cartilha do partido. Controlando os símbolos linguísticos o partido controla o que o cidadão pode ou não pensar. E assim expressou-se Carlão do PT: nós precisamos ouvir o recado das ruas, mas os meios de comunicação estão escondendo o real problema do Brasil, ou seja, a crise do capitalismo.

É sempre a mesma conversa, quando tudo dá errado os esquerdistas empurram a responsabilidade para o imperialismo norte americano, a crise econômica internacional, a exploração das classes trabalhadoras entre outros chavões próprios de uma reunião de DCE, mas que não cabem em um homem público com prerrogativa de fazer a gestão dos cofres públicos.

Carlão do PT sabe que está mentindo quando diz que a origem do problema é mascarada pela imprensa, mas por uma questão de sobrevivência partidária ele precisa encobrir o crime de responsabilidade fiscal de seus dirigentes. Mais ainda, o mesmo expediente já foi utilizado pela presidente em pronunciamento em comemoração ao dia internacional das mulheres. Em resposta às mentiras em escala industrial houve panelaço e… a própria manifestação em Campinas!

Jorge Schneider (PTB)

Ponto positivo para o vereador Jorge Schneider, o único que usou o tom certo para falar das atrocidades cometidas pelo PT. Durante a sua fala, um tiro no pé foi disparado por Pedro Tourinho que tentou levar a desonra ao PTB por ter em seu quadro Fernando Collor de Melo que fez acordo com… o PT! Ou seja, é a máxima leninista “acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é!

O registro de toda essa baixaria pode ser conferido em:

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: