1 Comentário

(In)coerências como método político

A mensagem reproduzida abaixo foi enviada ao vereador Pedro Tourinho solicitando que o mesmo apresente uma moção contra o vice-presidente nacional do PT e coordenador das Redes Sociais do partido, Alberto Cantalice, em resposta ao seu artigo “A desmoralização dos pitbulls da grande mídia”.

Há poucos meses o vereador Pedro Tourinho entendeu que a declaração de Rachel Sheherazade era um convite à violência e assim apresentou uma moção de repúdio na Câmara Municipal de Campinas. Seguindo a mesma lógica, espera-se que o vereador Pedro Tourinho mantenha a coerência e repudie o próprio partido ao incitar o ódio entre aqueles que discordam de seu partido.

Segue o e-mail enviado na data de 02 de Julho de 2014:

 

Caro vereador Pedro Tourinho,

Sou cidadão de Campinas e como tal julgo importante acompanhar a atividade parlamentar de nossos representantes populares como um exercício de cidadania. Diante disso organizei juntamente com um grupo de voluntários o blog Adote um Vereador que visa fiscalizar e publicar as ações dos vereadores de Campinas.

Em Fevereiro deste ano o senhor apresentou a moção 22/2014 que protesta contra a manifestação da jornalista Rachel Sheherazade, no telejornal SBT Brasil a respeito dos atos de violência realizados contra adolescente no Rio de Janeiro na noite de 31 de janeiro de 2014.

No texto da moção o senhor alega que “a jornalista Rachel Sheherazade […] manifestou-se em cadeia nacional favoravelmente a ação perpetrada contra o adolescente. Segundo a jornalista ‘a atitude dos “vingadores” é até compreensível’ e o ato perpetrado seria ‘legítima defesa coletiva’”. 

Mais adiante o senhor argumenta que “reconhecendo o importante papel dos meios de comunicação na formação da opinião pública e na determinação de práticas e comportamentos na sociedade, consideramos que a atitude da repórter […] se mostrou irresponsável e até mesmo perigosa, podendo estimular atos semelhantes em outras situações”.

Pois bem, em nome da coerência de valores morais elevados e certo de que o senhor irá manter a honestidade intelectual, se a referida atitude foi um ato de potencial estímulo à violência convém apresentar outra moção de repúdio ao vice-presidente nacional do PT e coordenador das Redes Sociais do partido, Alberto Cantalice, em resposta ao seu artigo “A desmoralização dos pitbulls da grande mídia”.

O referido artigo [1] (reproduzido na íntegra abaixo) retrata os opositores do PTismo como “propagadores do ódio”,”arautos do caos”, “contra os avanços do país”, “inimigos das políticas sociais”, “divulgadores de uma democracia sem povo”, “profetas do apocalipse político” entre outras bravatas.

Mais ainda, ao nominalmente apontar os inimigos públicos do PT, por assim dizer, Cantalice estabelece o alvo de toda a militância que, ao invés de promover o debate e confronto de idéias, convida-os para o linchamento público. Daí, para passar da contenda ideológica para o embate físico é apenas uma questão de horizonte intelectual limitado daqueles que recebem a mensagem [2][3].

A resposta para este pedido de moção em repúdio ao artigo de Cantalice (ou falta dê) será publicada no blog Adote um Vereador e estará disponível para todos os interessados.

Atenciosamente,

Fábio de Paula Martins
voluntário do projeto Adote um Vereador


A desmoralização dos pitbulls da grande mídia
Por Alberto Cantalice
16/06/2014 – 16h01

Três vezes derrotados nos pleitos presidenciais, por Lula e Dilma e o PT, os setores elitistas albergados na grande mídia, ao se verem na iminência do quarto revés eleitoral, foram ao desespero.

Diurtunamente (SIC) lançam vitupérios, achincalhes e deboches contra os avanços do país visando desgastar o governo federal e a imagem do Brasil no exterior. Inimigos que são das políticas sociais, políticas essas que visam efetivamente uma maior integração entre todos os brasileiros, pregam seu fim.

Divulgadores de uma democracia sem povo apontaram suas armas, agora, contra o decreto da Presidência da República que amplia a interlocução e a participação da população nos conselhos, para melhor direcionamento das políticas públicas. Profetas do apocalipse político, eles são contra as cotas sociais e raciais; as reservas de vagas para negros nos serviços públicos; as demarcações de terras indígenas; o Bolsa Família, o Prouni e tudo o mais.

Personificados em Reinaldo Azevedo, Arnaldo Jabor, Demétrio Magnoli, Guilherme Fiúza, Augusto Nunes, Diogo Mainardi, Lobão, Gentili, Marcelo Madureira entre outros menos votados, suas pregações nas páginas dos veículos conservadores estimulam setores reacionários e exclusivistas da sociedade brasileira a maldizer os pobres e sua presença cada vez maior nos aeroportos, nos shoppings e nos restaurantes. Seus paroxismos odientos revelaram-se com maior clarividência na Copa do Mundo.

Os arautos do caos, prevendo e militando insistentemente pelo fracasso do mundial – tendo, inclusive, como ponta de lança a revista Veja previsto que os estádios só ficariam prontos depois de 2022, assistem hoje desolados e bufando à extraordinária mobilização popular e ao entusiasmo do povo brasileiro pela realização da denominada, acertadamente, de a Copa das Copas.

subproduto dos pitbulls do conservadorismo teve seu ápice nos xingamentos torpes e vergonhosos à presidenta Dilma na abertura da Copa, na Arena Corinthians. Verdadeiro gol contra, o repúdio imediato de amplas parcelas dos brasileiros e brasileiras ao deprimente espetáculo dos vips demonstra que a imensa maioria da população abomina essa prática.

Desnudam-se os propagadores do ódio. A hora é de renovar as esperanças e acreditar no Brasil!
(grifos meus)

Notas:
[1] Artigo originalmente publicado em: http://www.pt.org.br/alberto-cantalice-a-desmoralizacao-dos-pitbulls-da-grande-midia/
[2] José Dirceu defende que opositores “devem apanhar nas urnas e nas ruas”: http://www.youtube.com/watch?v=q77FfJdkAXQ
[3] Geraldo Alckmin é atacado com café quente no rosto: http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/eleicoes/2012/noticia/2012/10/mulher-joga-cafe-no-rosto-de-alckmin-durante-caminhada-em-campinas.html

Anúncios

One comment on “(In)coerências como método político

  1. […] Pois bem, se o vereador-militante Pedro Tourinho [1] abriu mão do seu direito de resposta que ao menos os leitores deste blog tomem ciência de que ele fugiu do questionamento que lhe foi feito em há dois meses. […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: